"Pelos caminhos de Portugal" - REGIÃO DE LISBOA

Mar, serra e luz
Reza a lenda que a cidade de Lisboa teria sido fundada pelo herói grego Ulisses, e que, tal como Roma, o seu povoado original fora rodeado por sete colinas.
Quando em 1147, o cruzado Osberno chegou ao estuário do Tejo, ficou maravilhado com aquele rio, feito – dizia ele – de dois terços de água e um terço de peixe.
A capital portuguesa consegue o prodígio de ser um pedaço do Mediterrâneo transplantado para o Atlântico. Imediatamente a sul, nas margens do estuário do Sado, a serra da Arrábida é verdadeiramente mediterrânica, com uma vegetação de zimbros e medronhos e praias de areia branca e água cristalina. Mas logo a norte de Lisboa, o cabo da Roca, «onde a terra acaba e o mar começa», põe em evidência a natureza atlântica desta região. E ainda mais para norte, o labirinto de colinas e vinhedos que se estende na direcção de Torres Vedras onde, em 1810, se perdeu a III Invasão Francesa e um dos melhores generais de Napoleão.
Num raio de pouco mais de 50 quilómetros à volta da capital portuguesa todos os ambientes e todas as paisagens são possíveis. Dos areais intermináveis da Caparica às altas falésias do cabo Espichel. Do ambiente cosmopolita do centro da cidade ao trotar dos cavalos na Golegã. Da grandeza monumental do Convento de Mafra, que inspirou o prémio Nobel da Literatura, José Saramago, às pequenas aldeias, prodígios da arqutectura popular, como as Azenhas do Mar ou Cheleiros. Dos campos férteis da lezíria ribatejana à verdura romântica de Sintra, Património da Humanidade. É esta diversidade, este casamento, por vezes conflituoso, mas cheio de paixão, entre cidade e campo, antigo e moderno, natureza e tecnologia que faz o encanto de Lisboa e da região que a envolve.
Para visitar algumas destas jóias da paisagem ou do património o próprio meio de transporte é um passeio. É o caso dos eléctricos, sejam os de Lisboa, seja o que liga Sintra à Praia das Maças. Sem esquecer os cacilheiros que ligam as zonas ribeirinhas da capital e de Almada ou o comboio que passa no tabuleiro inferior da ponte 25 de Abril.
Texto: "101 destinos de sonho"

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...