Trilho Pedestre da Bouça Velha em Valença

A Câmara Municipal de Valença vai promover, no próximo sábado, 10 de novembro, uma caminhada no Trilho Pedestre da Bouça Velha, com a distância de 10,2 Kms. A ermida da Senhora dos Remédios, os carvalhais, as matas de pinheiros, os ribeiros e velhos caminhos, de Sanfins e Gondomil, são os atrativos desta caminhada, com um percurso de pequena rota, de características paisagístico-patrimonial, um grau de dificuldade moderado e cota máxima de 622 metros no Castelo da Furna.
A caminhada será acompanhada por guias que darão a conhecer os pontos mais interessantes do percurso, bem como explicações sobre a fauna e a flora local.
“Este novo trilho vem reforçar a Rede Municipal de Percursos, numa clara aposta pela diversificação da oferta de turismo de natureza / ativo em Valença”, nas palavras de Jorge Salgueiro Mendes.
O ponto de encontro está marcado para a ermida da Senhora dos Remédios, em Sanfins, às 9h30 sendo o tempo estimado do percurso de 4 horas e 30 minutos.
Os primeiros pontos de interesse começam mesmo no início, na Ermida da Senhora dos Remédios, também igreja matriz de Sanfins e no nicho da primitiva ermida, de grande devoção e fama de santidade, existente por baixo de um grande penedo.
O granito em Sanfins e Gondomil afirma-se, a olhos vistos, com os grandes aglomerados rochosos e as rochas de dimensão impressionante. Aqui a arte e a tradição de explorar a pedra é secular, antes extraída, à cunha, à força braçal, para pastas e postes. Ao longo do percurso serão muitas as rochas isoladas que impressionam, no meio da paisagem, ou até que pelas suas formas servem de cortes para animais ou abrigos para os materiais agrícolas.
Os velhos espigueiros, as levadas de água, as latadas de vinha, ainda, a cobrir antigos caminhos e as ruínas de tantos moinhos de água.
A época é propicia para encontrar as mais diversas espécies de cogumelos, tão presentes nos nossos campos e montes e que as características de Sanfins e Gondomil proporcionam como o Piota Procera, o Amanita Muscária, o Amanita Citrinus, o Boletus edulius e tantos outros.

Feira dos Santos de Cerdal - A Grande Feira do Noroeste Peninsular

A freguesia de Cerdal, do concelho de Valença (Minho) recebe, a 1 e 2 de Novembro, a Feira Anual dos Santos, considerada a grande feira/romaria do calendário anual galaico-minhoto e a maior do Noroeste Peninsular.
A Feira dos Santos é uma feira / romaria secular e um verdadeiro ponto de encontro galaico-minhoto que cativa, ano após ano, milhares de visitantes. A feira já aparece documentada em 1758 e é um ponto de confluência de povos e onde, por excelência, se sente a alma galaico-minhota.
A propósito desta Feira, o Dr. Francisco Sampaio, antigo Presidente da Região de Turismo do Alto Minho, escreveu o seguinte: “É Feira à moda antiga e sendo a última grande Feira do ano no Alto Minho, arrasta no seu imaginário aquele ar de Festa e Arraial onde se diz missa, se cumprem ex-votos e promessas, e se acotovela o povoléu das redondezas. De Viana e de Ponte, de Monção e de Melgaço, de Coura e dos Arcos, dos Ayuntamientos da Raia Galega, tudo se achega numa alegria difusa e constante entre barracas e esparabéus, do plástico e dos factos à medida, das marcas e cassetes piratas, quinquilharias e ferragens, chitas e fazendas, loiças de Barcelos, móveis de Paredes, ourives de Gondomar, garranos dos montados do Corno do Bico e piscas das lavradas de Ganfei.”.
Feira de Gado e Corridas de Cavalos
Os cavalos garranos, típicos da região, são um dos principais atrativos desta feira com as castiças e singulares licitações e mostra dos animais, por parte dos muitos criadores da região norte de Portugal e do sul da Galiza, a animarem as manhas do dia 1 de novembro. Para além do gado cavalar este setor contará, ainda, com gado bovino e caprino.
As emblemáticas corridas de cavalos decorrerão no dia 1, a partir das 14h00, na Pista das Corridas.

Rota dos Vinhos da Península de Setúbal - Actividades

21 Outubro | 17h30 | Casa Ermelinda Freitas
VIII Festival Internacional de Música - Palmela "Terra de Cultura" - 6º Encontro Regional de Coros do Concelho de Palmela
Entrada livre.
Org.: Sociedade Filarmónica Palmelense "Loureiros"
Teatro nas adegas:
26, 27 e 28 Outubro | Adega Cooperativa de Palmela
2, 3 e 4 Novembro | Sivipa, Palmela
AUTO DA PURIFICAÇÃO: Teatro nas adegas, numa recriação de Virgílio Ferreira, que conta com a música ao vivo e com figuras populares e extravagantes que desenrolam as suas histórias de modo a dar a conhecer as próprias adegas.
Valor: 12,00€/por pessoa.
Iniciativa Local: Adrepes. Criação: O Bando. Parceria: Rota de Vinhos da Península de Setúbal.
DIAS 10 E 11 DE NOVEMBRO | COMEMORAÇÕES DO DIA EUROPEU DO ENOTURISMO!
Venda de vinhos e doçaria regional.
Provas comentadas e Magusto Gourmet.
Performances e animação musical.
Workshops e jantar vínico.
Circuitos enoturísticos e teatro nas adegas.

Trilho Pedestre do “Castelo da Furna” em Valença

O castelo rochoso da Furna, os Garranos e a aldeia serrana de Taião, são os atrativos da caminhada que a Câmara Municipal de Valença vai promover, no Trilho Pedestre do Castelo da Furna, com a distância de 14 Kms, no próximo sábado, 13 de Outubro.
O ponto de encontro está marcado para o Museu Rural de Taião, às 9h30 sendo o tempo estimado do percurso de 4 horas e 30 minutos.
Os primeiros pontos de interesse começam mesmo no início, no Museu Rural onde se guardam objetos ligados à agricultura, à pastorícia e à exploração mineira do volfrâmio. Nas proximidades é possível observar vários sarcófagos (sepulturas escavadas na rocha).
O percurso encaminha-se pela encosta da serra de São Lourenço, com passagem pelos vários núcleos de gravuras rupestres, até à Furna, pelos vastos montes, onde domina a pastorícia de cavalos garranos, semisselvagens e de cabras.
Já na Furna é possível observar o imponente aglomerado rochoso e as marcas do que foi um castelo medieval natural. A magnitude do espaço, as inúmeras saliências das formações rochosas, as grutas, os pontos de interesse arqueológico e as múltiplas lendas associadas fazem deste lugar um espaço de singular beleza. Do castelo restam apenas as marcas das traves nas rochas e as memórias históricas do que foi a sede do Julgado de Froião que abarcava Paredes de Coura e a parte norte de Valença, na época Medieval.
De regresso ao trilho, pelas encostas da Serra de São Lourenço, é possível observar grande parte das serranias do Minho e do sul da Galiza, sempre acompanhados por grupos de garranos. O percurso termina onde começou, junto ao Museu Rural de Taião.
Trata-se de um percurso de pequena rota, de características paisagístico-patrimonial, com um grau de dificuldade moderado e tendo por cota máxima os 622 metros no Castelo da Furna.
A caminhada será acompanhada por guias que darão a conhecer os pontos mais interessantes do percurso, bem como explicações sobre a fauna e a flora local.

Mosteiro de Tibães - Comemoração do Dia Mundial do Turismo

Mosteiro de Tibães - Comemorações do Dia Mundial do Turismo
O Mosteiro de S. Martinho de Tibães promove, no próximo dia 27 de Setembro, algumas atividades comemorativas do Dia Mundial do Turismo.
Entre as 16 h 30 e as 19 h30 realiza-se uma visita guiada temática para estudantes, guias e outros profissionais de Turismo. A visita é gratuita mas mediante inscrição prévia.
A partir das 20 h, no restaurante do Mosteiro, realiza-se um jantar com a participação do Doutor Varico Pereira, diretor da Turel, que irá abordar com os participantes a temática do Turismo Cultural e Religioso. O jantar, com uma ementa especial, tem o custo de 20 Euros.
Para participarem no jantar, os interessados devem inscrever-se previamente através do n.º 253 282 420 ou reservas@hospedariatibaes.com.
Dia Mundial do Turismo - Jantar  - 27 de Setembro 2012
Aperitivos- Linguiça Assada
- Tosta de Queijo fresco em cama de doce de tomate
- Pastel de Carne
- Pastel de Peixe
- Vinho Branco e Tinto
- Sumo de Frutas
MENU
Entrada - Sopa de Cebolas do Couto de Tibães
Prato - Porco com delícias do Jardim dos Monges, com arroz e legumes
Sobremesa  - Pera Bêbeda do Abade
Vinho Verde e Maduro reserva do Mosteiro
Água Mineral, Refrigerantes e Café
Preço por pessoa: 20,00€
Reservas através do nº: 253 282 420 ou reservas@hospedariatibaes.com

Caminhos de Ronda da Fortaleza de Valença – Uma Visita Noturna

No próximo dia 24 de Agosto, sexta-feira, a Câmara Municipal de Valença vai realizar uma caminhada noturna guiada pelos Caminhos de Ronda Militares da Fortaleza, com lanternas, promovendo, assim, uma visita à descoberta dos baluartes, dos baluartes à cavaleiro, dos revelins, das cortinas, das guaritas, dos adarves, dos postos de artilharia, dos merlões e de tantos outros pormenores.
De acordo com o Presidente da Câmara, Jorge Salgueiro Mendes, “Estas visitas guiadas temáticas são uma oportunidade única para sentir de perto a secular história desta joia patrimonial que é a Fortaleza de Valença
O percurso começa no Revelim da Coroada, com um espetáculo musical instrumental e de fado, pelas 21h30, iniciando-se a visita, desde o Baluarte de Sta Bárbara até ao Baluarte de São Jerónimo, percorrendo toda a cintura superior da muralha.
Ao longo do percurso os pormenores mais curiosos da vida e vivências dos militares e as experiências de vigilância armada, à fortificação, serão retratados pelos guias da visita. A recriação histórica será uma das grandes notas deste percurso a cargo de um grupo de praticantes de air soft. Vários figurantes, trajados ao século XVIII e com lanternas antigas, darão todo o realismo a esta visita.
Nos caminhos de ronda, nos baluartes, nas guaritas e nos pisos inferiores da muralha os visitantes terão a oportunidade de recuar uns séculos e vivenciar a vida quotidiana dos militares da fortificação valenciana.
Valença possui uma extensa rede de Caminhos de Ronda que permitem apreciar as mais singulares técnicas de construção militar, tipo Vauban, de que Valença é um dos grandes expoentes mundiais.
Fonte: Gabinete de Comunicação do Município de Valença

Por Terras da Baía de Golfilhos - Sol e Mar (Rota VI)

Vamos, neste post, apresentar a VI e última das Rotas de Vinhos da Península de Setúbal.
Setúbal - Tróia
Sugere-se um percurso pedestre pelo centro histórico de Setúbal, começando por visitar a Igreja de Jesus (séc. XVI), uma das primeiras manifestações do estilo manuelino, evidenciando-se no interior as colunas em forma de cordame náutico e a magnífica abóbada. A Galeria de Pintura Quinhentista reúne uma das melhores coleções de pintura portuguesa antiga.
Siga para a Praça do Bocage, dedicada a um dos maiores poetas do século XVIII, onde se destacam os edifícios da Câmara Municipal e aIgreja de S. Julião, com um belíssimo portal manuelino. Continue em direção ao Largo da Misericórdia, junto ao qual se situa um ponto de atendimento de turístico da entidade Lisboa e Vale do Tejo, onde são visíveis as ruínas de uma antiga fábrica de salga de peixe da época romana.
Siga pela Rua António Girão até encontrar a Igreja de St.ª Maria (séc. XIII), totalmente reconstruída no século XVI. Mesmo ao lado, situa-se uma relíquia do barroco, a Casa do Corpo Santo. No exterior, a parede lateral é um vestígio de uma muralha medieval construída para proteger a povoação dos frequentes ataques dos corsários.
Suba até chegar ao Arco de S. Sebastião e visite o Museu do Trabalho. Instalado numa antiga fábrica de conservas de peixe, evoca atividades tradicionais da população através de recriações de uma fábrica de conservas de sardinha e uma mercearia. Regressando ao Arco de S. Sebastião, desça a Rua Arronches Junqueiro. À esquerda desemboca na Avenida Luísa Todi. Inspirada nos "boulevards" franceses, a avenida surgiu da terraplanagem da antiga praia e representa o desenvolvimento da cidade nos finais do século XIX.
Uma visita ao Mercado do Livramento é obrigatória e a conclusão perfeita para este passeio. Um dos locais mais pitorescos da cidade e o aperitivo para entrar num restaurante e provar uma Sopa do Mar, a célebre Caldeirada de Peixe ou o Choco Frito. Antes de seguir para o cais de embarque e atravessar o rio Sado em ferry-boat com destino a Tróia, não deixe de visitar a Fortaleza de S. Filipe e desfrutar de uma deslumbrante panorâmica sobre uma das Mais Belas Baías do Mundo. A travessia do rio Sado permite apreciar a magnífica paisagem e, com alguma sorte, avistar os golfinhos roaz-corvineirosque residem no Estuário do Sado. Várias empresas organizam passeios de observação.

Por Terras do Sado – Salinas e Natureza (Rota V)

Depois de, em posts anteriores, termos divulgados 4 das Rotas de Vinhos da Península de Setúbal, vamos agora apresentar a V Rota: «Por Terras do Sado – Salinas e Natureza». Esperamos que gostem e que experimentem!
Palmela - Mourisca
A partida é feita da Casa Mãe da Rota de Vinhos, em Palmela. Continue pela Avenida Dr. Atáz Godinho de Matos até à Igreja de S. Pedro (séc. XVI) e observe o belíssimo edifício dos Paços do Concelho. Desça a estrada em direção a Setúbal, virando à direita no cruzamento. Nos segundos semáforos vire à esquerda, para Estação de Palmela e Poceirão. Continue em direção a Estação de Palmela, contorne as duas rotundas e siga sempre em frente, percorrendo terras de vinhas e sobreiros. Atravesse o primeiro cruzamento e continue em frente até encontrar um segundo cruzamento, onde deve virar à direita para a E.N. 10. Siga a indicação Mourisca, continuando pela estrada de St.º Ovídio. Atravesse a passagem de nível sem guarda e siga as indicações Moinho de Maré da Mourisca. Aqui a paisagem é dominada por pequenas explorações agrícolas e manchas florestais de pinheiros e sobreiros. Visite o exterior do moinho e se tiver oportunidade, faça uma caminhada pela zona circundante e pelo pequeno porto palafítico.
Mourisca - Zambujal
Percorra os caminhos que o trouxeram ao moinho, agora em direção a Águas de Moura. Após a antiga fábrica da EPAC, vire à direita pela estrada do Zambujal. Estacione e atravesse a antiga ponte ferroviária para visitar o Centro de Interpretação da Natureza do Zambujalinho, situado em plena Reserva Natural do Estuário do Sado. Observe as zonas de montados, arrozais, salinas e sapais, onde existe uma importante comunidade de avifauna residente e migratória, assim como a prática de actividades piscatórias tradicionais. Pode efectuar um percurso pedonal interpretativo, passando pela estação arqueológica datada do período romano, onde se fabricavam ânforas que se destinavam ao transporte marítimo dos produtos piscícolas e agrícolas para todo o império romano.

Escolher alojamentos baratos com Trivago.pt


Escolher alojamentos baratos com Trivago.pt
Aparentemente, o post de hoje não tem nada a ver com este blogue. No entanto, se pensarmos bem, até faz todo o sentido. Passo a explicar. O blogue «Passear em Portugal», como dissemos no primeiro post, pretende divulgar espaços, locais, paisagens, etc., que existem em Portugal, de Norte a Sul e nas Ilhas, que são verdadeiras maravilhas, muitas delas quase desconhecidas, porém sempre merecedoras de uma visita, mais ou menos demorada.
«O nosso principal objectivo é contribuir para divulgar o que de melhor, do ponto de vista turístico, há neste recanto da Europa, plantado à beira-mar, através da sugestão de passeios, circuitos ou itinerários turísticos, visitas,… para que, pelo menos, os Portugueses fiquem a conhecer mais do seu país!»
Ora, quando viajemos pelo nosso país, muitas vezes temos necessidade de ficar alojados, ainda que apenas por uma noite, e, também, de nos alimentarmos.
É aqui que surge a razão de ser deste post: hoje vamos sugerir um website extraordinário, o Trivago. Este website permite-lhe pesquisar rapidamente entre mais de 100 sites de reservas de hotel, garantindo-lhe encontrar sempre a melhor oferta, em termos de preços, qualidade, etc.
Quando encontrar no Trivago o seu hotel ideal, clique no preço que é apresentado e é automaticamente transferido para o respectivo site de reservas.
Com a utilização do Trivago pode poupar muito dinheiro, optando sempre pelas melhores soluções para o gozo de umas merecidas férias, pois ao comparar preços de hotéis através deste website pode poupar até 78%!
Por outro lado, o Trivago também lhe permite ganhar dinheiro extra: basta que adira à Comunidade Trivago. Depois de fazer o registo, pode manter gravados todos os locais que já visitou, escrevendo opiniões sobre os mesmos e fazer o upload das suas fotos, etc.

Por Terras de Colonos, Ferroviários e Antigas Devoções – Horizontes de Ruralidade (Rota IV)

Santuário de Nª Sª da Atalaia
Palmela – Pinhal Novo – Rio Frio
O percurso tem início no Largo de S. João, junto à Casa Mãe da Rota de Vinhos. Entre e conheça um pouco dos vinhos e adegas da região. Suba a Avenida Dr. Atáz Godinho de Matos até à Igreja de S. Pedro (séc. XVI). Desça a estrada em direcção a Setúbal e, no cruzamento, vire à esquerda, seguindo a indicação Palmela. Uns metros à frente, à direita, pode conhecer a adega SIVIPA e a sua colecção de garrafas assinadas. Esta Sociedade Vinícola é uma empresa de referência na produção e comercialização de vinhos, encontrando o seu ex-libris no Moscatel Roxo. Não deixe de o provar!
Retome a estrada e contorne a rotunda do Largo do Chafariz D. Maria I, novamente em direcção a Setúbal. Nos semáforos vire à esquerda para Pinhal Novo. Dirija-se ao Largo José Maria dos Santos, observe o Coreto, os painéis de azulejos de 1938 na antiga Estação dos Caminhos de Ferro e a Capela de S. José. Continue a estrada seguindo as indicações de Rio Frio e conheça a Biblioteca Municipal de Pinhal Novo e o Mercado Municipal. Conheça o Palácio de Rio Frio onde pode usufruir de um Turismo de Habitação de qualidade.
Rio Frio – Atalaia
Ao sair da Herdade de Rio Frio, vire à direita e siga até à localidade do Alto-Estanqueiro, onde se localizam a maior parte das estufas de flores, que fazem do Montijo a capital da flor.
No cruzamento, vire novamente à direita em direcção a Atalaia e surpreenda-se com o majestoso Santuário de Nossa Senhora da Atalaia. Durante as festas da terra no último fim-de-semana de Agosto, o Santuário acolhe peregrinos, romeiros e forasteiros. Visite o Cruzeiro Gótico Bizantino e o Museu Agrícola de Atalaia.

Por Terras Verdes – Vinhas e Golfe (Rota III)

Palmela – Algeruz
A partida tem início no largo de S. João, junto à Casa Mãe da Rota de Vinhos, uma antiga adega reconvertida em central de reservas para visitas às adegas e loja de vinhos e de produtos regionais.
Desça pela Avenida da Liberdade e ao chegar ao entroncamento, vire à direita, seguindo em direcção a Setúbal. Ao chegar a Volta da Pedra, nos segundos semáforos, vire à esquerda em direcção a Estação de Palmela e Poceirão. Uns metros mais à frente, vire novamente á esquerda, entrando na E.M. 533 e siga a indicação Poceirão. Pare um pouco mais à frente e efectue uma visita guiada à Adega Cooperativa de Palmela. Aprecie as grandes cubas brancas e a linha de engarrafamento, terminando na sala de estágio para uma prova de vinhos, não esquecendo de experimentar o delicioso Moscatel de Setúbal. Por altura das vindimas, conheça o destino das uvas, desde a sua avaliação na recepção, pela medição do grau provável, passando pelo esmagamento até à entrada nos depósitos para posterior fermentação.
Algeruz
Em seguida, continue em frente e no cruzamento vire à direita em direcção a Algeruz e conheça o Kartódromo Internacional de Palmela. Para além das actividades desportivas existentes, a Herdade de Algeruz alberga o Núcleo Museológico do Vinho e da Vinha, instalado na antiga adega da Herdade. Esta adega foi distinguida em 1937 pela federação Nacional dos Vinhos, como “a mais moderna adega do país”.
Próximo do Kartódromo, pode ainda visitar o Golfe do Montado, um dos cinco campos de golfe de 18 buracos existentes na região da Costa Azul.

Por Terras da Arrábida – Vinho, Arte e Natureza (Rota II)

Cabanas – Azeitão
A estrada é ladeada pelas vinhas e pastagens da Quinta de Camarate, que se dedica à produção de Queijo de Azeitão e também à criação de ovinos. Ao chegar a Vila Fresca de Azeitão sugere-se uma visita às oficinas S. Simão Arte e Faianças de Vila Fresca, onde pode travar conhecimento com o artesanato da região, nomeadamente com a produção e pintura artesanal de azulejos. Visite também a Igreja de S. Simão (séc. XVI). Retome o percurso até à E.N. 10 e siga em direcção a Setúbal. Mas à frente, aprecie os cavalos da Herdade dos Arneiros.
Após Aldeia Grande, vire á esquerda e siga pela estrada do Vale de Alcube. Ao passar a pequena ponte, junto a uma azenha em ruínas, encontra o portão de acesso à adega Quinta de Alcube. Uma pequena unidade de tipo familiar, inserida numa quinta plena de encanto com o seu solar, o regato, o pomar – onde ainda se produzem as outrora famosas Laranjas de Setúbal -  e a criação de gado. Para além dos vinhos de qualidade, a quinta produz ainda mel e queijos.
Ao sair retome pela E.N. 10 até chegar à Quinta da Bacalhôa e seu palácio, um dos melhores exemplares da arquitectura renascentista portuguesa, classificado como Monumento Nacional. Uma parte da Quinta é ocupada com vinha.
Em seguida, visite uma fábrica de azulejos, a Azulejos de Azeitão, que mantém a produção manual, utilizando a técnica da faiança e técnica de aresta e onde é possível pintar um azulejo.
Continue em direcção a Vila Nogueira de Azeitão. No percurso, uma placa assinala a presença de um importante conjunto de Oliveiras Milenares, classificadas como Património Natural.
Efectue uma paragem na Quinta Velha Queijeira e descubra o característico Museu do Queijo de Azeitão. Logo de seguida, conheça a Quinta das Torres, um antigo palácio que actualmente funciona como Estalagem.
Siga em direcção às vinhas da Quinta Bassaqueira, onde está instalada a adega Bacalhôa – Vinhos de Portugal, um espaço de simbiose entre vinhos, arte e natureza. A adega, de linhas modernas, é rodeada por belíssimos jardins com oliveiras milenares, estatuária contemporânea e um jardim japonês. Nas traseiras, encontram-se as vinhas e um lado com peixes e patos exóticos. No interior, o Moscatel envelhece em 1.800 barricas, enquadradas por uma extraordinária colecção de azulejos do séc. XV ao XIX.
Visite Vila Nogueira de Azeitão – o Palácio dos Duques de Aveiro (exterior), o Pelourinho, o Museu Sebastião da Gama, a Igreja de S. Lourenço, a Fonte de Pasmados e o Posto de Turismo.

Por Terras de Santiago – História, Património e Artesanato (Rota I)

Palmela – Castelo e Centro Histórico
O percurso pedestre sugerido tem início no Castelo de Palmela, monumento nacional desde 1910. Dentro das muralhas do Castelo encontra, para além do Posto de Turismo, o antigo Convento, que actualmente é uma Pousada; a Igreja de Santiago, monumento nacional e as ruínas da Igreja de Sta Maria, onde se situa o Gabinete de Estudos da Ordem de Santiago. Integrado no Museu Municipal encontram-se o Espaço Arqueológico, o Espaço de Transmissões Militares e a Reserva Visitável “Escultura de Santiago”.
Desça até à Igreja de S. Pedro (séc.XVI) e aprecie a bela fachada do edifício dos Paços do Concelho (séc. XVII / XVIII). Siga em direcção ao Largo Duque de Palmela e observe o Pelourinho e a Igreja da Misericórdia.
Continue o percurso pela Rua Hermenegildo Capelo, com passagem pelo Largo do Mercado até à Rua 31 de Janeiro. Desça as escadinhas da Rua Coronel Galhardo e entre na Rua do Passadiço. Chegando ao Largo Marquês de Pombal, observe o edifício de esquina com a Rua Joaquim Brandão, desça pelas Escadinhas dos Caracoleiros, siga pela Rua Augusto Cardoso e continue em direcção ao Largo do Chafariz D. Maria I (séc. XVIII). Atravesse o Jardim Joaquim José de Carvalho até ao Largo de S. João Baptista.
Neste Largo, pode apreciar o exterior da Capela de S. João Baptista, o Coreto, a Biblioteca Municipal de Palmela, o Cine-Teatro S. João e a Casa Mãe da Rota de Vinhos. Esta antiga adega foi reconvertida em ponto de informação enoturística sendo também uma loja de vinhos e de produtos regionais.

Vila Nova de Famalicão - Património

Igreja Paroquial de São Félix e Santa Marinha de Gondifelos
A Igreja Paroquial da freguesia de Gondifelos  - Vila Nova de Famalicão é composta por nave central rectangular, capela-mor quadrangular e duas sacristias adossadas.
A fachada principal é de linhas sóbrias, com porta axial de formato rectangular, é encimada por dois pináculos rematados numa forma boleada, com uma cruz ao centro.
No centro da empena estão duas edículas, onde se encontram colocadas duas esculturas em granito representando os oragos da igreja, São Félix e Santa Marinha.
Adossada ao lado norte da fachada, situa-se a torre sineira.
A actual igreja é datada de 1954, substituindo uma outra anterior que existia no mesmo lugar, e cuja documentação aponta para a sua edificação em 1699.
Em meados do século XVII, verificou-se a união de duas paróquias pré-existentes (Santa Marinha de Vicente e São Félix de Gondifelos), resultando na actual paróquia de São Félix e Santa Marinha de Gondifelos.

Chafariz da Praça Manuel Sottomaior
Bem no centro da cidade de Vila Nova de Famalicão, implantado na Praça Manuel Sottomaior, pavimentada com lajes de granito, paralelo à Rua Direita e junto da Casa da Cultura, encontramos este chafariz, constituído por tanque circular percorrido por cornija na base e no topo, com bordo saliente.
Ao centro ergue-se pedestal prismático, encimado por base e coluna decorada por acantos, que suporta taça circular com quatro bicas zoomórficas, em forma de leão, sobrepujada por obelisco cónico, estriado, rematado por fogaréu
Trata-se de uma estrutura neoclássica, decorada com elementos de morfologia ainda barroca, nomeadamente os acantos da coluna de suporte da taça e as bicas zoomórficas.
(Informações retiradas da Agenda Cultural de Vila Nova de Famalicão)

O Paço dos Duques de Brangança - Guimarães

Durante o ano de 2012, Guimarães é uma Capital Europeia da Cultura*. A outra é Maribor, na Eslovénia.
A propósito deste facto, sugerimos o visionamento deste vídeo sobre os Paços dos Duques de Bragança, em Guimarães, da autoria de Pedrodoporto:


«O Paço Ducal, mandado construir por D. Afonso, 1º duque de Bragança (1), denuncia influência europeia, assemelhando-se aos castelos franceses do Vale do Loire. De facto, tem as características de um grande palácio fortificado ou de uma fortaleza apalaçada, sendo exemplar único na Península Ibérica.
De planta quadrangular, tem uma torre em cada canto e todo o perímetro é ameado, encerrando um claustro gótico. Nos telhados contam-se 39 chaminés cilíndricas.
A partir do século XVI foi votada ao abandono, que durou até 1937, quando se iniciaram as obras de recuperação. Em 1959 foi aberto ao público e transformado em museu.
Destacam-se a colecção de tapeçarias de Pastrana, do século XV, o núcleo de tapeçarias flamengas com desenhos de Pieter Paul Rubens e as mostras de porcelanas da Companhia das Índias, de faiança portuguesa e de mobiliário do período pós-descobertas.» In Guia American Express – Norte de Portugal e Galiza
(1) A construção foi efectuada em 1420-22 pelo 8º Conde de Barcelos, D. Afonso (1380-1461), filho bastardo de D. João I.
(*) A Capital Europeia da Cultura é uma iniciativa da União Europeia, lançada em Atenas em 1985 como uma iniciativa intergovernamental, e que tem por objectivo a promoção de uma cidade da Europa, por um período de um ano durante o qual a cidade possui a hipótese de mostrar à Europa sua vida e desenvolvimento cultural, permitindo um melhor conhecimento mútuo entre os cidadãos da União Europeia. (Wikipédia e Centro de Informação Europeia Jacques Delors)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...