Livro sobre viagens e gastronomia tradicional


The Portuguese Travel Cookbook
Integrada nos Sabores de Primavera do Festival Gastronómico do Concelho de Alcoutim "Sabores da Serra ao Rio", a Câmara Municipal de Alcoutim promove a apresentação do livro «The Portuguese Travel Cookbook», de Nelson Carvalheiro, pelo fotógrafo Emanuele Siracusa, no dia 24 de abril, pelas 18h00, na Casa dos Condes - Alcoutim.

Uma viagem pelos sabores genuínos de Portugal, conduziu o bloguer Nelson Carvalheiro por mais de 300 localidades portuguesas. Num mês, percorreu cinco mil quilómetros em busca da gastronomia tradicional, mas também da história e das pessoas por detrás de cada tasca, restaurante e cozinha. Sentou-se à mesa de mais de 60 restaurantes e provou mais de 250 pratos. A experiência vai ser partilhada em livro cujo título está apenas em inglês e é: «The Portuguese Travel Cookbook». O trabalho dá grande destaque à imagem e tem algumas receitas, mas o autor sublinha que «não é um livro de receitas».

III Festival de Caminhadas - Gerês 2015


No fim-de-semana de 21 e 22 de Março vai realizar-se, no concelho de Terras de Bouro, o III Festival de Caminhadas no Gerês, organizado pela associação Gerês Viver Turismo, e que conta com o apoio da Câmara Municipal de Terras de Bouro e da associação de desenvolvimento local ATAHCA.

Este festival tem como objetivo a promoção do Gerês enquanto destino turístico no domínio do Turismo de Natureza, proporcionando por isso um contacto direto com o património natural e cultural a todos os participantes, estando garantida a interpretação dos trilhos por parte dos guias que acompanharão cada um dos grupos.

Em cada um dos dias vão realizar-se 4 caminhadas guiadas em trilhos com características diferentes, possibilitando a participação de todos, tanto aos mais experientes como aos menos experimentados. No primeiro dia as caminhadas terão lugar durante a tarde e terminarão na Vila do Gerês, onde haverá lugar a animação e será promovido o convívio entre todos com a oferta da típica sopa no pote e de uma malga em barro alusiva ao festival. No dia seguinte, pela manhã, as caminhadas terminarão junto ao Núcleo Museológico de Vilarinho da Furna.

Salientamos que este festival decorrerá em paralelo com o evento “Fim-de-Semana Gastronómico” de Terras de Bouro, sendo que por isso se sugere a visita aos restaurantes do concelho aderentes a esta iniciativa.

As inscrições são limitadas, obrigatórias e encerram às 23:00 do dia 14 de Março. O valor de inscrição por pessoa é de 5,00€ (cinco euros) e funciona como caução, ou seja, será devolvido após confirmação do participante na caminhada.

Roteiro – percursos pedestres – Vila Real


Roteiro – percursos pedestres – Vila Real
Este projecto visa dotar o concelho de Vila Real de um conjunto de infraestruturas públicas de apoio ao turismo na natureza, proporcionando aos turistas, visitantes e população local o usufruto equilibrado do seu património ambiental e paisagístico.

Neste sentido, visa igualmente constituir um incentivo ao desenvolvimento sustentado das comunidades locais.

Circuito das três aldeias: etnográfico

Circuito das três aldeias: etnográfico
Pontos de interesse: Este percurso engloba a passagem por três aldeias marcadamente rurais e com uma arquitectura tradicional. Podem ser observados espigueiros, eiras, cortes de gados, núcleos de casas em granito e muros a dividir campos afectos a uma agricultura de subsistência.

A paisagem de montanha envolvente é caracterizada por algumas manchas de floresta autóctone que alternam com zonas de pinhal. Durante o percurso é possível contactar com algumas espécies da nossa fauna que encontram refúgio e alimento nos matos e florestas da montanha, tais como a águia-de-asa-redonda, a cobra-rateira e o lagarto-d’água.

O património histórico resume-se às igrejas as povoações visitadas que conservam alguma misticidade, aliada a uma rusticidade típica do mundo rural.
 

Circuito de Constantim: histórico-cultural

Circuito de Constantim: histórico-cultural
Pontos de interesse: Este percurso apresenta um grande valor histórico-cultural pois engloba a visita ao Santuário de Panóias e às igrejas matrizes de Constantim e Assento.

O património natural é caracterizado por manchas de pinhal que acolhem diversas espécies de aves de rapina (gavião, açor e águia-de-asa-redonda), mamíferos (esquilo, raposa, fuinha, roedores e insectívoros), passeriformes (tentilhão, carriça, peto-verde), répteis (cobras de lagartos) e um conjunto interessante de pequenos artrópodes que fazem parte da cadeia alimentar de muitos outros animais.

A cultura popular é também evidente no Largo do Fontanário em Constantim com um conjunto peculiar de estruturas como o tanque, o fontanário e uma figura de S. Frutuoso. É possível observar a cultura vinícola que neste percurso domina.

Circuito do Carvalhal: flora

Circuito do Carvalhal: flora
Pontos de interesse: É um percurso marcado por uma vegetação exuberante, associado ao curso de água que acompanha parte do mesmo. Partindo de S. Miguel da Pena podem observar-se alguns carvalhos e castanheiros isolados a ladear os campos, mas é quando o percurso começa a subir em direcção à capela de Nª Sª de Fátima que a vegetação adquire o seu esplendor. Carvalhos-alvarinho, bétulas, amieiros, castanheiros, entre outras, são um exemplo da diversidade característica da floresta autóctone portuguesa.

Associado à flora surge igualmente um mundo diversificado de espécies de fauna, como o gato-bravo, o javali, a coruja-do-mato, os chapins, a cobra-de-água, o lagarto-de-água, a rã-ibérica, a salamandra-de-pintas-amarelas, as libélulas e uma imensidão de borboletas. A paisagem vai-se alterando e ao chegar ao topo começa a dominar a vegetação rasteira, caracterizada por mato de altitude (giesta, tojo, carqueija) e alguns núcleos de pinheiro.

O património histórico-cultural é caracterizado pela igreja matriz de S. Miguel da Pena, a capela de Vilarinho, o pelourinho, a capela de Nª Sª de Fátima, os cruzeiros e os núcleos populacionais de Gontães, Vilarinho e S. Miguel da Pena. É de realçar a existência de dois moinhos em granito, com telhado em xisto, também a calçada em granito rompida pelo passar dos carros de bois e os muros de granito que ladeiam caminhos antigos e campos.´
 
Circuito do Mineiro: geológico

Circuito do Mineiro: geológico
Pontos de interesse: O património natural adquire o seu expoente máximo na estruturas e paisagens geológicas, como as minas, as cristas de quartzito e o relevo, que são alguns pontos de interesse a observar. Devido à extensão do percurso a vegetação vai-se alterando.

Assim, no início, temos mato rasteiro, seguindo-se uma mata densa de coníferas, plantada outrora pelos Serviços Florestais. Já numa zona mais agrícola temos um núcleo de castanheiros que oferece alimento, não só ao homem, mas a muitas outras espécies.

É de realçar, já em Mascoselo, a presença de um azevinho com cerca de 10 metros de altura, que se encontra fabulosamente bem conservado no interior do povo antigo.

Continuando o percurso, e a marginar a estrada, temos uma mancha muito densa de carvalhos, associados a bétulas e a castanheiros.

Em termos de património histórico-cultural, temos as igrejas das povoações de Vila Cova e Mascoselo, a capela de Nª Sª de La Sallete, a sepultura antropomórfica em Vila Cova, as instalações abandonada das minas em Vila Cova e alguns núcleos de casas tradicionalmente transmontanas em granito.
 
Circuito do Lobo: fauna

Circuito do Lobo: fauna
Pontos de interesse: O percurso inicia-se e termina em Samardã, onde podemos observar a igreja e um núcleo de espigueiros e a arquitectura tradicional em granito. Iniciando o caminho que sai da povoação, deparamos com outras estruturas de utilização agrícola como eiras, calçada portuguesa antiga, desgastada pela passagem dos carros de bois, mas espigueiros, uma pequena e rústica ponte e diversos muros que ladeiam os campos agrícolas.

A paisagem é caracteristicamente de montanha, onde dominam os matos de altitude. Contudo, surgem manchas de florestas plantadas pelo homem, pinheiros-silvestres e bétulas que para os visitantes são excelentes pontos de descanso, pois proporcionam sombra. Ao longo do percurso surgem pequenos cursos de água que apresentam um caudal variável com a época do ano. Estes são propícios ao desenvolvimento de espécies da herptofauna portuguesa, como rãs, sapos, salamandras e tritões, que os utilizam principalmente na primavera para a deposição de ovos. Também oferecem frescura a muitas espécies de mamíferos, como os coelhos e raposas. Relativamente às aves, surge uma espécie não muito comum, o tartaranhão-caçador, que aqui encontra alimento e refúgio.

A estrutura mais peculiar e com grande valor cultural é o Fojo do Lobo, que pode ser visitado a meio do percurso.
 
Fonte: folheto promocional editado pela Câmara Municipal de Vila Real

VII Jornadas Micológicas do Corno de Bico - Paredes de Coura


Vão realizar-se, nos próximos dias 29 e 30 de novembro, em Paredes de Coura, as VII Jornadas Micológicas do Corno de Bico.

O Programa prevê o desenvolvimento de uma oficina pioneira de Microscopia Micológica, entendida como técnica complementar de identificação e catalogação de espécies de fungos.

Para além desta, está previsto, também, que seja desenvolvida uma oficina de conservação de cogumelos. Vamos pois aprender algumas técnicas que nos permitirão elaborar conservas caseiras de cogumelos ou outros produtos, bem como o processo de esterilização e de pasteurização – actividade limitada a 24 inscrições.

Simultaneamente, está também prevista uma oficina de produção caseira de cogumelos saprófitos em borras de café – actividade limitada a 24 inscrições.

Este ano pela primeira vez, imbuídos pelo espírito de divulgação da cultura micológica, vamos abrir a CEIA MICOLÓGICA 2014 ao público em geral, pelo que as pessoas que pretendam experimentar o “Cibus Deorum” que estamos a preparar, mas não queiram ou não possam frequentar as jornadas, poderão juntar-se a nós para partilhara Ceia. Atenção: as inscrições são limitadas!

Não podemos prometer que vão aparecer muitos cogumelos, o que podemos prometer é amizade, convívio, cultura micológica e muita gastronomia… Não se esqueça de preparar um petisco para partilhar no Pic-Nic, que acontece durante o Passeio Micológico, durante o qual vamos procurar explorar novos habitats micológicos integrados nas paisagens ímpares que caracterizam o concelho de Paredes de Coura.

Aguardamos a sua visita.
Preços das inscrições - Jornadas Micológicas:

1 dia: 15 euros
2 dias: 30  euros

2 Dias mais dormida e pequeno-almoço: 45 euros

Preços das inscrições - CEIA Micológica:
Ceia Micológica – 15 euros (Inscrições Limitadas).

As Inscrições poderão ser feitas on-line no portal do Município de Paredes de Coura, onde terá acesso a todas as informações relevantes sobre as jornadas.

PROGRAMA

Sábado 29 novembro 2014
09:30 Horas - Percurso Micológico na PPCB - 4 percursos diferentes (Grupos de 15 participantes - máximo)
13:00 Horas - PIC - NIC: Partilha e degustação de petiscos e outros produtos trazidos pelos participantes.
14:30 Horas - Percurso Micológico - Continuação
15:30 Horas - Regresso ao CEIA - Pausa para Café. Biscoitos de milho e outras iguarias da Gastronomia Courense - Promovido pela Loja Rural.
16:00 Horas - Oficina de identificação e catalogação de espécies recolhidas:
Montagem da Exposição “Cogumelos de outono da PPCB”. Identificação e Exposição das Espécies Recolhidas

18:00 Horas - Sessão Teórico-prática de Iniciação à Microscopia Micológica: Pretende-se realçar a importância da microscopia no processo de catalogação de espécies. Atividade monitorizada por Purificacion Lorenzo (Grupo Micológico Galego/ Universidade de Vigo) e Manuel Paraíso (A Pantorra)

20:30 Horas - Ceia Micológica de Outono - Coordenada por Mª Emília Monteiro Alves e Maria Luis Salgado - Degustação de pratos confecionados à base de cogumelos silvestres e de produção. (Actividade aberta ao público em geral)
Domingo 30 novembro 2014

09:30 Horas - Oficina de Conservação de Cogumelos Comestíveis: Cogumelos Confitados e Técnicas Caseiras de Conservação e Esterilização. - Atividade monitorizada por Hermengarda e Cassiano Monteiro (A Pantorra).

09:30 Horas - Oficina de Produção Caseira de Cogumelos Saprófitos em Borras de Café: Produção caseira de cogumelos ostra (Pleurotus ostreatus), num substrato à base de palha e de borras de café.

13:00 Horas - Almoço convívio de encerramento das VII Jornadas Micológicas de Outono 2014.

15:00 Horas - Verde de Honra e Sessão Encerramento das Jornadas Micológicas de Outono, com a presença do Senhor Presidente da Comissão Diretiva da Paisagem Protegida do Corno de Bico - Tiago Cunha, e do Senhor Vice-Presidente da Direção da Associação Micológica A Pantorra - António Júlio Queirós Monteiro

Como Chegar a Paredes de Coura: Centro de Educação e Interpretação Ambiental (CEIA)

GPS: Latitude: 41º 54` 49`` N // Longitude: 08º 29` 33`` W

Porto/Braga pela Autoestrada A3:
1 - Seguir pela A3 na direção NORTE (Valença/Espanha).
2 - Passados cerca de 110 km, sair na saída 13 Nó de Paredes de Coura/ V.N. Cerveira.
3 - Saído da área da portagem, seguir pela (EN 303), no sentido Paredes de Coura.
4 - Percorridos 2 km encontra o entroncamento com a EN 201, virar à esquerda e 100 metros depois, passado o posto de abastecimento de combustíveis, encontra-se o cruzamento junto à Capela de S. Bento da Porta Aberta (Cossourado), aí virar à direita, no sentido Paredes de Coura, pela (EN 303), percorridos cerca de 8 km chega a Paredes de Coura, junto à sede da Associação de Dadores Benévolos de Sangue de Paredes de Coura (ADASPACO).
5 - A Partir daqui, sair na 2ª Saída e seguir pela Av. Cónego Bernardo Chouzal. passados 300 metros, seguir pelo túnel e na rotunda seguinte, sair na 1ª saída, deverá seguir as indicações: (CENTRO DE EDUCAÇÃO E INTERPRETAÇÃO AMBIENTAL), 50 metros adiante, junto ao quartel dos Bombeiros Voluntários de Paredes de Coura, siga pela Direita, pela Rua Dr. Albano Barreiros (EN301).
6 - Chegado à Rotunda junto á Capela do Divino Espírito Santo, virar à esquerda, sair na segunda saída, 50 metros depois, na rotunda junto ao Minipreço, sair na 2ª saída. Seguir pela EN 303 no Sentido Arcos de Valdevez, por 12 Km, passando por ordem pelas freguesias de: Castanheira; Cristelo; Bico e finalmente Vascões, aqui seguir novamente as indicações do CENTRO DE EDUCAÇÃO E INTERPRETAÇÃO AMBIENTAL que deverá encontrar na Colónia Agrícola da Chã de Lamas.

Porto/Braga - A28 / A27:
1 - Saindo do Porto, seguir na direção NORTE pela A28, a partir de Viana do Castelo pela A27/IP9 na direção de Ponte de Lima.
2 - Sair ao fim do terceiro túnel - Saída 4 (Arcozelo/ P. Lima), na rotunda de acesso seguir pela (EN201) em direção a Arcozelo/ Ponte de Lima.
3 - percorridos 500m na rotunda seguinte (Sabadão) seguir pela (EN202) no sentido Paredes de Coura.
4 - 300 metros adiante na rotunda seguinte (Faldejães) seguir na direção Paredes de Coura (EN 306), chegará a Paredes de Coura, junto ao Minipreço, percorridos 23 km, na rotunda, sair na 1ª saída. Deverá seguir as indicações: (CENTRO DE EDUCAÇÃO E INTERPRETAÇÃO AMBIENTAL) Seguir pela EN 303 no Sentido Arcos de Valdevez, (12 Km) passando pelas freguesias de: Castanheira; Cristelo; Bico e finalmente Vascões, aqui seguir novamente as indicações do CENTRO DE EDUCAÇÃO E INTERPRETAÇÃO AMBIENTAL que deverá encontrar na Colónia Agrícola da Chã de Lamas.

Espanha / Valença Pela Autoestrada A3:
1 - Passar a Ponte Internacional sobre o Rio Minho e seguir na direção Porto/Braga, passados 15 km sair na saída 13 nó de (Paredes de Coura/ V. N. Cerveira), seguir pela EN 303 sentido Paredes de Coura.
2 - Percorridos 2 km encontra o entroncamento com a EN 201, virar à esquerda e 100 metros depois, passado o posto de abastecimento de combustíveis, encontra-se o cruzamento junto à Capela de S. Bento da Porta Aberta (Cossourado), aí virar à direita, no sentido Paredes de Coura, (EN 303), percorridos cerca de 8 km chega a paredes de Coura, junto à sede da Associação de Dadores Benévolos de Sangue de Paredes de Coura (ADASPACO).
3 - A Partir daqui, sair na 2ª Saída e seguir pela Av. Cónego Bernardo Chouzal. passados 300 metros, atravessar o túnel e na rotunda seguinte, sair na 1ª saída, deverá seguir as indicações: (CENTRO DE EDUCAÇÃO E INTERPRETAÇÃO AMBIENTAL), 50 metros adiante está junto ao quartel dos Bombeiros Voluntários de Paredes de Coura, siga pela direita, pela Rua Dr. Albano Barreiros (EN301),
4 - Chegado à Rotunda junto à Capela do Divino Espírito Santo, virar à esquerda, sair na segunda saída, 50 metros depois, na rotunda junto ao Minipreço, sair na 2ª saída. Seguir pela EN 303 no Sentido Arcos de Valdevez, percorrerá cerca de 12 Km, passando por ordem pelas freguesias de: Castanheira; Cristelo; Bico e finalmente Vascões, aqui seguir novamente as indicações do CENTRO DE EDUCAÇÃO E INTERPRETAÇÃO AMBIENTAL que deverá encontrar na Colónia Agrícola da Chã de Lamas.

Espanha/Valença Pela Estrada Nacional 303:
1 - Sair de Valença pela (EN 13), Av. De Espanha e depois pela Av. Miguel Dantas, (EN13), 5 km adiante, no cruzamento de S. Pedro da Torre, contornar a rotunda e sair na 3ª saída no sentido Paredes de Coura (EN 201).
2 - passados 10 km encontra o cruzamento junto à Capela de S. Bento da Porta Aberta (Cossourado), virar à esquerda, no sentido Paredes de Coura (EN 303) e percorridos cerca de 8 km chega a Paredes de Coura, junto à sede da Associação de Dadores Benévolos de Sangue de Paredes de Coura (ADASPACO).
3 - A Partir daqui, sair na 2ª Saída e seguir pela Av. Cónego Bernardo Chouzal - Passados 300 metros, atravessar o túnel e na rotunda seguinte, sair na 1ª saída, deverá seguir as indicações: (CENTRO DE EDUCAÇÃO E INTERPRETAÇÃO AMBIENTAL), 50 metros adiante está junto ao quartel dos Bombeiros Voluntários de Paredes de Coura, siga pela direita, pela Rua Dr. Albano Barreiros (EN301),
4 - Chegado à Rotunda junto à Capela do Divino Espírito Santo, virar à esquerda, sair na segunda saída, 50 metros depois, na rotunda junto ao Minipreço, sair na 2ª saída. Seguir pela EN 303 no Sentido Arcos de Valdevez, percorrerá cerca de 12 Km, passando por ordem pelas freguesias de: Castanheira; Cristelo; Bico e finalmente Vascões, aqui seguir novamente as indicações do CENTRO DE EDUCAÇÃO E INTERPRETAÇÃO AMBIENTAL que deverá encontrar na Colónia Agrícola da Chã de Lamas.

Passeio peloTrilho da Águia do Sarilhão


Trilho da Águia do Sarilhão
A Portugal na Mala tem inscrições abertas para o Trilho da Águia do Sarilhão, para o próximo dia 6 de setembro.
Localização: Campo do Gerês. Parque Nacional da Peneda-Gerês (PNPG) - (Terras de Bouro).
Data: 06 de Setembro de 2014 (todo o dia)

Trilho: Duração aproximada: 3,5 horas | Grau de dificuldade: Médio | Extensão aproximada: 9km
Este trilho percorre uma interessante área de património natural e cultural do Parque Nacional da Peneda-Gerês (PNPG), podendo salientar-se a Mata Nacional de Albergaria, e a Via Nova XVIII (Geira Romana).

Museu de Vilarinho da Furna/ Núcleo Museológico de Campo do Gerês.
Trilho da Águia do Sarilhão
No Museu Etnográfico de Vilarinho da Furna pode ver-se o resultado da recolha do património etnográfico da aldeia de Vilarinho da Furna, dos finais dos anos 60, aquando da construção da barragem no rio Homem que submergiu a aldeia. (A visita é guiada). Paralelamente, realiza-se também uma visita à exposição permanente da Porta do PNPG (do Campo do Gerês) e ao Museu da Geira.

Preço por pessoa: 35,00€ | Este preço inclui transporte (Braga-Campo do Gerês-Braga), guia, almoço, entradas no Núcleo Museológico do Campo do Gerês e seguro de acidentes pessoais.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...