Mensagens

Parque Natural do Alvão - a ocupação humana

Imagem
Parque Natural do Alvão - Socalcos para pastagens A ocupação humana Os aglomerados são, de um modo geral, concentrados, situando-se sempre junto, ou próximo, de terrenos férteis de aluvião ou de vale. A casa rural tradicional , de volumetria modesta e escassas aberturas, empregava o granito e o xisto como material de base; nas aldeias mais internadas na serra usava-se o colmo como cobertura enquanto no vale se preferia a laje de ardósia . Os baixos da habitação, a loja, era utilizada para guardar o gado. Aldeia de Anta Poderá gostar de ler: As picaretas de ouro  (Lenda da Serra do Alvão) Construção típica de Lamas de Olo A irrupção de materiais de construção oriundos do exterior e uma clara mudança de hábitos domésticos conduziram à adulteração ou abandono de inúmeras construções preteridas em favor de novos edifícios obedecendo a modelos arquitetónicos incaracterísticos. As atividades económicas tradicionais As atividades económicas no interior dos limites do PNA centram-

Parque Natural do Alvão - o quadro físico

Imagem
Granito em bolas - Arnal O Parque Natural do Alvão (PNA), ocupa parte do conjunto montanhoso Marão - Alvão compreendendo, do ponto de vista fisiográfico, uma zona de altitude, uma larga bacia ondulada, onde nascem o rio Olo e alguns dos seus afluentes, e uma zona xistosa mais baixa, onde o Olo corre encaixado entre dobras de relevo. Entre a zona de altitude e o vale submontano existe uma barreira de quartzitos que, devido à sua dureza, origina uma transição brusca - a diferença de cotas é de cerca de trezentos metros - entre as zonas acima referidas, um verdadeiro degrau onde se situam as quedas de água das Fisgas Ermelo . Em termos geológicos, a parte mais elevada deste Parque Natural , cujo ponto culminante é o Alto das Caravelas (alt. 1330m), é de natureza granítica - assumindo formas curiosas, caso das paisagens com " granito em bolas ", ou espetaculares, caso do imponente morro que domina a aldeia de Arnal - enquanto a zona basal - Ermelo, Fervença - é domí

Parque Natural do Alvão, um local a visitar várias vezes!

Imagem
Parque Natural do Alvão Parque Natural situado na zona de transição entre o Minho e Trás-os-Montes , cobrindo uma superfície de 7.239 há em territórios pertencentes aos concelhos de Mondim de Basto e Vila Real . Porque foi classificado? “ O sítio conhecido por Fisgas do Ermelo, situado na Serra do Alvão, concelho de Mondim de Basto, é sobejamente conhecido na região pelos seus valores naturais únicos raros. Trata-se de uma região com formações xistosas de silúrico de grande interesse paisagístico e geológico, cujo fulcro é a queda de água do rio Olo, em Fisgas do Ermelo .” Assim reza o início do preâmbulo do Dec.- Lei nº 237/83, de 8 de junho que criou o Parque Natural do Alvão que também alude à abundância e diversidade da avifauna , cita diversos mamíferos e répteis presentes, fala da riqueza e variedade da flora e vegetação e refere o valor da arquitetura e artesanato locais , outras tantas razões que levaram à classificação da Serra do Alvão como Área Protegida co

“Pelos caminhos de Portugal” – Norte

Imagem
Paisagem em pleno Alto Douro Vinhateiro Norte - Paisagem, história e tradição Das papas de sarrabulho à moda de Braga, ao  presunto de Chaves , das  alheiras de caça de Mirandela  à broa de Avintes , as mesas do Norte são sempre fartas. O único Parque Nacional do país, o da Peneda-Gerês , concentra no seu território a amostra do que de mais genuíno tem o Minho. No  Minho , região onde se situa  Guimarães , a cidade-berço de Portugal, dos vales verdejantes aos caminhos antigos das serras, vamos encontrando de tudo um pouco: - valioso património histórico, - casas solarengas cheias de tradições, - ambientes urbanos modernos e industrializados, - povoamentos rústicos dispersos, - praias de areia branca - e mar forte, tudo sempre envolto pelo verde único da paisagem. Para além deste cenário de sonho, a alegria e a hospitalidade das gentes minhotas é contagiante. Os trajes, as danças e os cantares, a música tradicional, a gastronomia célebre, tudo se conjuga para

"Pelos caminhos de Portugal" - MADEIRA

Imagem
Caleidoscópio natural Prove o bolo do caco , as espetadas em pau de louro, os peixes e mariscos frescos, o milho frito, as frutas exóticas e o vinho da Madeira . Na costa Leste, passe por Machico, o primeiro local onde desembarcaram, em 1419, Gonçalves Zarco e Tristão Vaz Teixeira.             Conheça a  Lenda de Machico ou do Amor Imortal . As ilhas da Madeira e de Porto Santo são duas manifestações de originalidade da Natureza no meio do oceano.  Na Madeira , misturam-se altas montanhas e densas florestas com jardins meticulosamente cuidados, túneis engenhosos e teleféricos panorâmicos.  No Porto Santo aplana-se a paisagem e estendem-se quilómetros de areais dourados.  A temperatura é outra aliada do sucesso do turismo no arquipélago: 23 graus de máxima e 15 de mínima durante todo o ano, no ar; quanto à água, oscila entre os 22 graus no Verão e os 18 no Inverno. À primeira vista, não há como evitar o espanto perante o encanto do Funchal.  Em forma de anfiteatro natural, a cosmopol

Vila Real e arredores | Roteiro de natureza e lazer

Imagem
Visto do Parque Corgo: a Ponte Metálica, aspeto de Vila Real e o Marão coberto de neve Jardim da Carreira Este Jardim surgiu da necessidade de criar um espaço público de lazer, no século XVIII, e originalmente foi arborizado com espécies de árvores provenientes do Gerês . Este espaço é um dos mais emblemáticos de Vila Real , e dos que têm uma maior tradição e história junto dos vila-realenses. Parque Corgo O Parque Corgo situa-se nas margens do rio que lhe dá nome, e tem uma área de cerca de 33 hectares. Está ligado ao Parque Florestal , um verdadeiro pulmão da cidade, e incorpora vários equipamentos: campos polidesportivos, itinerários pedestres, parque de merendas de Codessais (equipado com grelhadores e mesas), piscinas municipais abertas, parque infantil, cafés e casas de chá. É ainda possível ver antigos moinhos, alguns deles recuperados. Na área correspondente ao Parque Florestal está instalado um circuito de manutenção, que convida à prática de hábitos de vida sa

Igreja Matriz da Golegã | Uma visita

Imagem
A Igreja Matriz da Golegã distingue-se pela sua torre sineira saliente Edificada no século XVI, a Igreja Matriz da Golegã , cujo orago é Nossa Senhora da Conceição , sofreu profundas influências da época manuelina. Contudo, no templo predominam os estilos gótico, manuelino, barroco e revivalista . Embora a tradição atribua a construção ao rei Venturoso , a planimetria, volumes e estruturas apontam para uma data mais recuada; D. Manuel terá apenas ampliado e decorado o templo. A nível planimétrico, volumétrico e estrutural, o templo insere-se dentro do gótico mendicante: tem cinco tramos, naves cobertas de madeira, sendo a central mais alta, e cabeceira abobadada. O arco triunfal é ainda gótico , bem como a estrutura da abobada absidal em vários panos e não única, como no manuelino; anteriormente à reforma manuelina é provável que o templo possuísse transepto, dada a deficiente união da cabeceira com as naves. Do manuelino são o pórtico oeste e os laterais, a decoração de

Castelo e muralhas de Monsanto | Uma visita

Imagem
Foi no século XIII que se ergueu o atual Castelo de Monsanto [Idanha-a-Nova, Castelo Branco, Beira Baixa ] , assente em penedia de muito problemática escalada, mas o povoado fortificado já vinha da época pré-histórica e nele passaram romanos, visigodos e árabes . Nos reinados de D. Dinis , D. Fernando e D. João I procederam-se a importantes obras de reconstrução. O reduto é formado por três recintos muralhados, torres quase todas em ruínas, cisterna, Capela de Nossa Senhora do Castelo , escadas e rampas, portas e arcos, a Torre do Pião , já fora das muralhas e derruída quase até à base, muros grossos de cantaria em granito apertados entre descomunais rochedos, uns, e mesmo encimando-os, outros. Em termos documentais, Monsanto entrou na história portuguesa quando, em 1165, D. Afonso Henriques a doou à Ordem dos Templários , mas o grão-mestre Gualdim Pais não deixou aqui obra importante, pelo que nova doação contemplou a Ordem de Santiago , apenas sete anos depois. Na cris

Boticas - Região do Barroso

Imagem
Boticas Na sequência de um post anterior , onde foi referido o “ Reino Maravilhoso ” – Trás-os-Montes, sobre o qual escreveu  Miguel Torga  (natural de S. Martinho de Anta , concelho de Sabrosa e distrito de Vila Real), vamos agora divulgar  Boticas , concelho localizado no norte do distrito de Vila Real, também na  região de Trás-os-Montes , mais concretamente no Barroso ! BOTICAS – Porta aberta ao Barroso, às suas gentes e às suas tradições. Aqui há repouso, saúde e férias nas termas de Carvalhelhos. Há  festas, gastronomia, vinhos “mortos”, minas de ouro romanas e, à sua espera, rios cheios de trutas. Boticas, rodeada pelos cerros e montes da Serra de Alturas , é terra fértil de bom pão e bom vinho. São famosos os vinhos “ Mortos de Boticas ”, apetitosos claretes, guardados nas adegas em garrafas enterradas no chão fresco, excelente companhia para o  presunto, o salpicão, a vitela do Barroso e as trutas recheadas à moda de Boticas. Depois, desafiando milhares de anos de Hist

Castro de Carvalhelhos – Beça – Boticas

Imagem
Castro de Carvalhelhos O Castro de Carvalhelhos , situado na freguesia de Beça , do concelho de Boticas , no cimo de um cabeço sobranceiro à estância termal [ informações abaixo ], é uma das mais conhecidas estações castrejas do Noroeste Peninsular , como resultado das sucessivas escavações arqueológicas aí realizadas desde 1951 pelo Doutor J.J.R. dos Santos Júnior , Professor da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto . A zona escavada mostra um sistema defensivo bastante complexo, formado por três linhas de defesa, a saber, muralhas, fossos e pedras fincadas, e uma área habitacional. As muralhas têm cerca de 4 metros de altura e entre 2 e 3,5 metros de largura, contando com uma série singular de rampas de acesso que compunham o esquema estratégico. Um conjunto de grandes fossos, com profundidade entre 3 a 4 metros, forma a segunda linha de defesa e é outra das particularidades deste castro. A terceira linha defensiva é composta por um emaranhado de pedras fincadas, de