Grândola – Gastronomia, Vinhos e Artesanato

«A gastronomia local pauta-se pelas influências do litoral e do interior alentejano, resultando numa deliciosa miscelânea culinária. Por um lado, temos os pratos de peixe e marisco, resultado das actividades piscatórias artesanais, sobressaindo as sopas e massas de peixe e marisco, os ensopados e as caldeiradas, não esquecendo as famosas enguias.
Aproveite as suas extensas praias para visitar um dos restaurantes à beira-mar e usufruir de um magnífico repasto com vistas panorâmicas sobre o oceano.
Por outro lado, temos os pratos tradicionais da gastronomia alentejana, começando pelos enchidos, passando pelos pratos de caça, javali, porco e borrego e pelas açordas. Tudo temperado com as ervas aromáticas tipicamente alentejanas: os coentros, os orégãos, a hortelã, o poejo, o alecrim e o manjericão. Sem esquecer, como complementos, o delicioso pão, o frutado azeite alentejano, o mel e os tentadores doces tradicionais.
Não poderia aqui faltar uma referência ao cozido à portuguesa, um dos pratos mais tradicionais da gastronomia nacional, que atinge a sua máxima expressão na localidade de Canal Caveira que é, por essa razão, justamente conhecida como a Capital do Cozido!
Mas, como um bom prato deve ser sempre acompanhado por um bom vinho, aqui ficam algumas sugestões: os néctares da Herdade da Comporta e do Pinheiro da Cruz.
Ficou com água na boca? Então escolha uma das tasquinhas típicas da zona ou, se preferir, um restaurante mais requintado, e apodere-se deste mundo de sabores e aromas.
Para além da gastronomia, o artesanato marca igualmente a identidade alentejana. Nesta região, os trabalhos em madeira, raízes várias, ferro forjado, cerâmica e olaria são as expressões máximas da tradição local. O Centro de Artesanato do Lousal expõe uma panóplia de peças, desde artigos em fero forjado (incluindo mobiliário) a trabalhos em pele e móveis pintados e cerâmica.
Em Canal Caveira destacam-se os cachimbos esculpidos em madeira, uma amostra da arte pastoril, representando normalmente figuras de animais, enquanto em Grândola sobressai o calçado e vestuário em pele e cortiça, assim como miniaturas de cadeiras com fundo em corda e de cajados.
Já em Santa Margarida da Serra, as peças mais comuns são instrumentos musicais, bijuteria, ferro forjado, raízes várias e madeira.
No Carvalhal não deixe de conhecer os trabalhos em pele e raízes de camarinha. Por último, uma menção a Melides, muito conhecida pela sua olaria com uma forte tradição que remonta ao séc. XV, não deixando de referir a cerâmica e o vestuário e acessórios em feltro e seda.
O folclore local, expoente máximo da cultura grandolense, merece também uma referência.»
Fonte: Folheto turístico editado pela CM de Grândola

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...