Por Terras da Arrábida – Vinho, Arte e Natureza (Rota II)

Cabanas – Azeitão
A estrada é ladeada pelas vinhas e pastagens da Quinta de Camarate, que se dedica à produção de Queijo de Azeitão e também à criação de ovinos. Ao chegar a Vila Fresca de Azeitão sugere-se uma visita às oficinas S. Simão Arte e Faianças de Vila Fresca, onde pode travar conhecimento com o artesanato da região, nomeadamente com a produção e pintura artesanal de azulejos. Visite também a Igreja de S. Simão (séc. XVI). Retome o percurso até à E.N. 10 e siga em direcção a Setúbal. Mas à frente, aprecie os cavalos da Herdade dos Arneiros.
Após Aldeia Grande, vire á esquerda e siga pela estrada do Vale de Alcube. Ao passar a pequena ponte, junto a uma azenha em ruínas, encontra o portão de acesso à adega Quinta de Alcube. Uma pequena unidade de tipo familiar, inserida numa quinta plena de encanto com o seu solar, o regato, o pomar – onde ainda se produzem as outrora famosas Laranjas de Setúbal -  e a criação de gado. Para além dos vinhos de qualidade, a quinta produz ainda mel e queijos.
Ao sair retome pela E.N. 10 até chegar à Quinta da Bacalhôa e seu palácio, um dos melhores exemplares da arquitectura renascentista portuguesa, classificado como Monumento Nacional. Uma parte da Quinta é ocupada com vinha.
Em seguida, visite uma fábrica de azulejos, a Azulejos de Azeitão, que mantém a produção manual, utilizando a técnica da faiança e técnica de aresta e onde é possível pintar um azulejo.
Continue em direcção a Vila Nogueira de Azeitão. No percurso, uma placa assinala a presença de um importante conjunto de Oliveiras Milenares, classificadas como Património Natural.
Efectue uma paragem na Quinta Velha Queijeira e descubra o característico Museu do Queijo de Azeitão. Logo de seguida, conheça a Quinta das Torres, um antigo palácio que actualmente funciona como Estalagem.
Siga em direcção às vinhas da Quinta Bassaqueira, onde está instalada a adega Bacalhôa – Vinhos de Portugal, um espaço de simbiose entre vinhos, arte e natureza. A adega, de linhas modernas, é rodeada por belíssimos jardins com oliveiras milenares, estatuária contemporânea e um jardim japonês. Nas traseiras, encontram-se as vinhas e um lado com peixes e patos exóticos. No interior, o Moscatel envelhece em 1.800 barricas, enquadradas por uma extraordinária colecção de azulejos do séc. XV ao XIX.
Visite Vila Nogueira de Azeitão – o Palácio dos Duques de Aveiro (exterior), o Pelourinho, o Museu Sebastião da Gama, a Igreja de S. Lourenço, a Fonte de Pasmados e o Posto de Turismo.
Nas caves José Maria da Fonseca, aprecie o culto da arte e das antigas tradições. A bela fachada da casa e o seu interior são uma viagem pela história desta adega, evocada por antigas máquinas, prémios e diversos artefactos. Um aprazível jardim dá acesso às caves de envelhecimento dos vinhos. Conheça as antigas adegas: Adega da mata e Adega dos Teares Novos, onde estagia, nesta última, o famoso vinho Periquita. Na Adega dos Teares Velhos, o Moscatel envelhece em centenas de barricas.
Vila Nogueira de Azeitão é também o lugar ideal para saborear especialidades gastronómicas, como as Tortas ou os Esses de Azeitão.
Pode prolongar a visita pela Vila e observar o Palácio Salinas (séc. XVIII), a Fonte do Concelho (séc.XVII) e em Aldeia Rica, o Fontanário e a Fonte de Oleiros.
Continue e parta à descoberta da Serra da Arrábida. Pós Aldeia de Irmãos, no entroncamento, existem dois percursos: directamente para o Parque Natural da Arrábida ou um desvio para conhecer o Cabo Espichel.
Parque Natural da Arrábida
Pela estrada da esquerda, encontra a Quinta do Lapidário, uma pequena oficina de artesanato de azulejos e faianças e um salão de chá com doces e licores de fabrico caseiro. Continuando por Casais da Serra, existe um pequeno aglomerado envolvido por vinhas. No entroncamento terá duas opções:
1.- Descer para visitar a praia do Portinho da Arrábida, onde encontra o Museu de Oceanografia e das Pescas, instalado numa antiga fortaleza e a Lapa de Santa Margarida.
Para regressar, retome ao entroncamento e continue pelo cimo da serra ou siga a estrada em direcção a Setúbal, percorrendo as praias. Durante a época balnear não é possível realizar este percurso.
2.- Continuar pelo cima da Serra, onde encontra uma pequena guarita e um Miradouro, com uma esplêndida panorâmica sobre as praias. Após a curva, surge a entrada para o Convento da Arrábida, construção que se integra de forma harmoniosa com a paisagem parecendo obras da própria natureza.
A estrada, serpenteando ao longo da encosta, proporciona excepcionais belezas naturais até à cidade de Setúbal.
Depois de ter passado o complexo industrial da SECIL, na bifurcação, vire à direita e continue em direcção a Setúbal. Encontra sugestões de visita a esta cidade na Rota VI.
Cabo Espichel
Se optar por visitar o Cabo Espichel, após Aldeia de Irmãos deve seguir pela estrada da direita em direcção a Sesimbra, passando por Santana e seguindo as indicações de Cabo Espichel.
Aqui, encontra as falésias escarpadas que caem abruptamente sobre o mar, o conjunto arquitectónico do Santuário de Nossa Senhora do Cabo (séc. XVIII) e a Ermida da Memória (séc.XV). Perto deste local, junto à praia dos Lagosteiros, foram descobertas pegadas e rastos de cauda fossilizadas de dinossauros.
(in Folheto promocional da Rota de Vinhos da Península de Setúbal)

1 comentário:

  1. Um artigo muito interessante sobre a região.
    Deixo um artigo que também elaborei sobre as quintas de Azeitão
    http://documentaromundo.wordpress.com/category/europa/portugal/azeitao/

    Cumpts
    Luis

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...